sábado, 12 de julho de 2008

Agradecimentos

Sr. Directora
O nosso muito obrigado,
Por tudo o que fez por nós,
Por nos ter acompanhado.

Professora Goreti
Como nós vamos embora
Queríamos agradecer-lhe
Porque já está na hora.

Professora Ana Freitas
Gostámos muito de trabalhar,
Queríamos agradecê-la,
Por tão bem nos preparar.

Professor Márcio
Gostámos muito das canções,
Agora que vamos embora,
São grandes as emoções.

Professor António
Gostámos muito de jogar,
De exercitar, correr e saltar,
E para sempre o vamos recordar.

Professora Ana Abreu
Gostámos muito de desenhar,
Estamos muito agradecidos,
Por sempre nos ajudar.

Professora Fernanda
Gostámos muito suas lições,
Guardaremos na memória,
Tão belas recordações.

O Professor Victor
A nossa turma apoiou,
Ao superarmos as dificuldades,
A aprendizagem facilitou.

As auxiliares são boas amigas,
Sempre prontas a trabalhar,
Ficaremos muito gratos,
Sempre iremos recordar.


Laura e Diana – 4º Ano

Os três Santos Populares

São três os Santos Populares
Sto António, S. Pedro e S. João,
De Norte a Sul de Portugal,
São festejados com Emoção.

As Romarias saem à rua,
Saltam e pulam de alegria
Acendem-se as fogueiras,
Para assinalar este dia.

Santo António é o primeiro,
Dos santos o casamenteiro,
É assinalado pelos jovens,
Em Portugal inteiro.

No dia 24 de Junho;
Comemoramos o São João;
Este Santo Popular,
Que nos alegra o coração.

No fim do mês de Junho
O S. Pedro festejamos,
Com romagens e canções,
Este Santo veneramos.

Luís Henrique e Xavier
4º Ano de Escolaridade

Os Santos Populares

São três os Santos Populares,
Todos eles bem diferentes,
Juntam-se as romarias,
Alegres e contentes.

No dia 24 de Junho
O São João festejamos
Saltamos à fogueira
E em roda cantamos.

No dia 29 de Junho,
O São Pedro festejamos,
É um dia especial,
Por isso o assinalamos.

Junho chegou,
É hora de festejar
Os Santos Populares
Todos iremos comemorar.

É dia de S. João,
É dia de comemoração,
E por todo o país,
Há alegria e diversão.

Laura, Diana e Bernardo
4º Ano

Quadras Santos Populares

Os Santos populares,
Nós vamos comemorar.
E no mês de Junho,
Os vamos festejar.

Com fogueiras acesas,
Alegria e animação,
Festejamos os três Santos,
Com muita emoção.

No dia 13 de Junho,
Santo António assinalamos,
Neste dia tiramos sortes,
A ver se nos casamos.

No dia 24 de Junho,
São João comemoramos,
Com fogueiras acesas,
Este Santo festejamos.

No dia 29 de Junho,
O São Pedro festejamos,
É o Porteiro do Céu,
Isso não esqueçamos.

Jorge e Mariana – 4º Ano

Cidade do Funchal - Acróstico

Cidade tão Bela!
Implantada junto ao mar,
Do Atlântico a primeira,
A pioneira, a principal.
Diferente, única e singular,
Elegante, formosa e comercial.

D. Henrique tornou-te sede de capitania,
Outrora vila e mais tarde cidade.

Funchal é o Teu Nome!
Único, singular e original,
Nada é mais belo,
Como tu, linda cidade,
Histórica e valiosa.
Além fronteiras conhecida,
Lembrada e Recordada!


Trabalho de Grupo realizado pelos alunos do 4º Ano:
Jéssica, Daniela Filipa, Jorge Miguel, Pedro Silva, Pedro Camilo, Tiago João

Funchal a Rimar



Uma planta aromática,
Lançando o seu perfume,
Cobria os teus solos,
Da encosta até ao cume.

Os marinheiros portugueses,

Quando aqui chegaram,
Logo te deram nome,
E Funchal te chamaram.

Devido ao teu funcho,

Te chamaram Funchal,
Tens tantas maravilhas,
Como tu não há igual.

Baía maravilhosa,

Arvoredo Singular,
Encostas verdejantes,
Da serra até ao mar.


Figuras ilustres e famosas,
Na ilha se refugiaram,
E na beleza das paisagens,
A paz encontraram.

O Atlântico banha-te os pés,

E reflecte a tua beleza,
Pois as tuas paisagens,
Enfeitam a Natureza.

O Natal e o Fim de Ano,

O Carnaval e a Festa da Flor,
Enchem as tuas ruas,
De alegria e muita cor.

Que todos nós Madeirenses,

Recordemos com emoção,
O dia 21 de Agosto,
Data da tua elevação.


Trabalho realizado pelos alunos do 4º Ano de Escolaridade no âmbito do Concurso Funchal 500 Anos

Menção Honrosa no Concurso: Funchal 500 Anos

Um grupo de alunos do 4º Ano de Escolaridade obteve uma Menção Honrosa no Concurso: Funchal 500 Anos, realizado no âmbito das Comemorações do V Centenário da Elevação do Funchal a Cidade.
Os alunos: Pedro Camilo, Jorge Miguel, Pedro Silva, Daniela Filipa e Jéssica Carina elaboraram um Acróstico sobre a Cidade do Funchal tendo o mesmo sido premiado com uma Menção Honrosa.
A Cerimónia de Entrega de Prémios decorreu no passado dia 19 de Maio no Teatro Municipal Baltazar Dias, no Funchal e contou com a presença do Júri do Concurso, dos responsáveis por esta iniciativa, do Senhor Director Regional de Educação e do Senhor Presidente da Câmara Municipal do Funchal.

sábado, 5 de julho de 2008

Eco-Código 2008




O Nosso Planeta vamos proteger, Para não o vermos sofrer!

As Alterações Climáticas vamos vencer, Por isso os GEE`s vamos combater!

A Biodiversidade a vamos conhecer, Para a podermos defender!

Para o Ambiente Local melhorar, Dos Espaços Exteriores vamos cuidar!

Materiais vamos reutilizar, Para muitos recursos poupar!

Os Resíduos vamos separar, Para a Reciclagem facilitar!

Energia vamos poupar, Todos ficamos a ganhar!

Sempre que o Sol brilhar, A sua luz devemos aproveitar!

A Água devemos poupar, Para este recurso não acabar!

O Eco Código vamos respeitar, A Todos o vamos divulgar!

Visita dos alunos do 4º Ano à Reserva Natural do Garajau

No dia 25 de Junho os alunos do 4º Ano de Escolaridade da nossa escola realizaram uma visita de estudo à Reserva Natural do Garajau, a única Reserva em Portugal exclusivamente marítima.
Esta reserva, foi criada em 1986 para a protecção dos garajaus (aves marinhas), está localizada na costa sul da ilha da Madeira e constitui uma fantástica Reserva marinha dada a sua riqueza biológica e beleza natural.
A fauna marinha residente engloba alguns peixes de grande porte, com destaque para a colónia de meros, o emblema da Reserva, para além de outras espécies costeiras como o sargo e a moreia, os interessantes grupos de enguias de jardim, tão características dos mares da Ilha da Madeira ou ainda a manta e a jamanta.
Dada à sua rara beleza, esta área é cada vez mais visitada por mergulhadores, oferecendo também boas condições para a fotografia aquática.
Esta visita de estudo permitiu aos alunos ficarem a conhecer esta Reserva Marinha, criada com o intuito de proteger uma área privilegiada da costa madeirense, as espécies ali protegidas e os limites marítimos da mesma.

Musicaeb 2008

Na Sexta-feira dia 6 de Junho os alunos do 3ªano e do 4ªano de escolaridade da nossa escola participaram no Musicaeb 2008.
O número apresentado pelos alunos da nossa escola, integrou-se na apresentação dos Concelhos de Santa Cruz e Porto Santo e intitulava-se: “ Era uma vez”.
Este número incluiu dramatização, canto, dança e instrumentos como: a flauta, braguinhas, metalafones e xilofones.Foi um número repleto de fantasia, imaginação, criatividade e alegria.

Visita de Estudo ao Jardim Tropical Monte Palace

No dia 29 de Abril de 2008 nós, os alunos do 3º e 4º Anos de Escolaridade, fizemos uma visita de estudo ao Jardim Tropical Monte Palace que fica situado na freguesia do Monte – Funchal.
Durante a visita pelo Jardim nós fomos guiados por uma Senhora chamada Paula que nos levou a vários pontos e nos deu informações importantes sobre os locais que íamos visitando.
Durante a visita nós pudemos observar uns painéis que nos mostravam os reis e alguns acontecimentos importantes da História de Portugal.
Começámos por visitar uma exposição intitulada “Paixão Africana” com várias esculturas feitas em madeira e pedra por escultores africanos. Visitámos também uma sala lindíssima onde pudemos observar uma grande colecção de rochas e de pedras preciosas.
Na deslocação pelo Jardim Tropical pudemos visitar um painel de azulejos que relata: “A Aventura dos Portugueses no Japão”. Esta aventura começa com a chegada acidental dos Portugueses ao Japão, ao serem desviados da sua rota por uma tempestade, enquanto navegavam nos mares da China e relata ainda as relações comerciais e culturais e a tentativa dos Jesuítas em introduzirem o Cristianismo no Japão.
Seguidamente visitámos o Jardim Oriental onde à entrada vimos dois cães de Fó em mármore, animais míticos do oriente, geralmente encontrados às entradas dos templos e vimos uns soldados chineses espalhados pelo Jardim.
Também pudemos ver uma lagoa com patos, cisnes e peixes e pelo jardim passeavam galinhas, galos e pavões.
Junto à lagoa existente próximo do edifício onde outrora funcionou o hotel, pudemos observar um vaso de cerâmica que é o vaso mais alto do Mundo. Vimos também uma estátua em bronze, de uma menina a saltar à corda.
O momento da visita que mais gostámos foi o momento que visitámos as lagoas onde se encontram uns peixes chamados Koi.
Estas lagoas estão equipadas com um sistema sofisticado de filtragem e purificadores de água, sem o uso de químicos, assegurando, assim, um habitat saudável para os peixes.

Texto colectivo dos alunos do 4º Ano

A Freira do Bugio

A Freira do Bugio é uma ave que está em vias de extinção. É uma ave marinha que passa muitos meses no mar.
Esta ave marinha escolhe um pequeno planalto que existe na Ilha do Bugio para fazer o seu ninho e colocar o seu ovo.
A Freira do Bugio escolhe este pequeno planalto porque é um local seguro e de difícil acesso.
A Freira do Bugio é uma espécie vulnerável porque existe uma população pequena destas aves.

Mariana – 4º Ano

Semana Sorridente

No dia 19 de Junho nós os alunos do 3º e 4º Anos fomos a São Vicente participar nas actividades da XI Semana Sorridente.
Saímos da escola às 8:45m e por volta das 9h 30 chegámos a São Vicente.
Quando lá chegámos fomos visitar as Grutas.
Após a visita às Grutas fomos para o Centro de São de Vicente e fizemos um percurso a pé até à Capela de São Vicente, construída numa rocha, que fica localizada junto a uma ribeira.
Como só íamos assistir ao espectáculo da Semana Sorridente à tarde, aproveitámos o tempo para ir até ao Parque Infantil, que fica localizado num jardim em frente à Bomba de Gasolina, no Centro de São Vicente.
Por volta das 14 horas nós fomos até à tenda, montada no largo localizado junto à igreja, onde decorreram as actividades da Semana Sorridente.
Como ainda era cedo aproveitámos para ver a exposição de trabalhos realizados pelos alunos das várias escolas da Região.
Às 14:30m começou o espectáculo da Semana Sorridente.
Neste espectáculo pudemos assistir a alguns números musicais apresentados por alunos das escolas de Santana e Ponta do Sol, assistimos também a uma apresentação da Equipa de Animação do Gabinete Coordenador de Educação Artística e a algumas apresentações das Equipas da Saúde Oral que ao longo do Ano Lectivo visitam as várias escolas da Região.
No final ofereceram-nos uma pasta de dentes, uma história e uns desenhos para pintarmos.
Nós gostámos muito de participar nesta Iniciativa.

Kevin e Mariana – 4º Ano

Provas de Aferição 2008

Nos dias 16 e 20 de Maio, realizaram – se as Provas de Aferição 2008, destinadas a todos os alunos que frequentam o 4º Ano de Escolaridade.
Estes dias tiveram um significado especial para os alunos do 4º Ano que testaram os seus conhecimentos nas Áreas da Língua Portuguesa e de Matemática.
Os dias que antecederam as Provas colocaram os nossos alunos com “os nervos à flor da pele”. Apesar de todo o nervosismo e ansiedade demonstrados as Provas de Aferição correram bem.
Parabéns pelo empenho e esforço demonstrados por todos os alunos!

Dia Mundial da Criança

Na sexta-feira, dia 30 de Maio, assinalámos na nossa escola o Dia Mundial da Criança.
Neste dia fizemos um passeio à Fonte do Bispo.
Saímos cedo da nossa escola e rumámos até à Ribeira Brava onde parámos para lanchar.
Após lancharmos seguimos viagem. Subimos a Serra de Água, passámos pelo Paul da Serra e finalmente chegámos à Fonte do Bispo – local destinado para almoçarmos num ambiente de verdadeiro convívio e diversão.
Por volta das 15 horas regressámos ao autocarro rumo à ponta do Sol onde parámos para lanchar e comer um gelado.
Foi um dia diferente, divertido e inesquecível para todos!


terça-feira, 27 de maio de 2008

terça-feira, 6 de maio de 2008

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Obrigado, Mãe!

Obrigado, Mãe!

Por me dares a Vida!
Por teres cuidado de mim todos estes anos,
Por estares sempre junto de mim,
Por me dares carinho, amor e compreensão,
Por me preparares as refeições e a roupa,
Por cuidares de mim quando estou doente,
Por me ajudares nos trabalhos de casa,
Por me amparar quando preciso,
Por estares sempre atenta,
Pelo teu amor sem fim!

Obrigado, Mãe!

Alunos do 4º Ano de Escolaridade

4 de Maio - Dia da Mãe

Mãe

O teu dia é especial,
Tratas-me muito bem,
Dás-me tudo o que quero,
Tu és a minha querida mãe.

No dia 4 de Maio,
Celebramos o teu dia,
Gosto muito dessa data,
Porque me dá alegria.

Bernardo

4 de Maio - Dia da Mãe

A quatro de Maio,
O dia da mãe festejamos,
E com muito carinho,
Este dia assinalamos.

Quatro de Maio,
Um dia especial,
Cheio de alegria,
E muito emocional.

Com muita alegria,
Este dia assinalamos,
Com muito amor,
É assim que festejamos.

O Dia da Mãe,
Nós vamos celebrar,
E com muito carinho,
O vamos assinalar.

Neste dia especial,
Muitos beijos vou-te dar,
E com muita alegria,
Te vou abraçar.

Num lugar especial,
Te tenho guardada,
E lá bem no fundo,
Tu estás assinalada.

Joana

4 de Maio - Dia da Mãe

Mãe

És uma bela flor,
Guardo-te no meu coração,
Nunca te vou esquecer,
Não vou largar a tua mão.

Mãe querida, querida Mãe
És a melhor, és fabulosa
Gosto muito de ti
Por seres tão carinhosa.

Estás no meu coração
Nunca te irei esquecer
Dá-me a tua mão
Sem ti não sei viver.

Daniela

4 de Maio - Dia da Mãe

Adoro-te Mãe,
Tu és amorosa,
Gosto muito de ti,
Por seres tão carinhosa.

Mãe, tu és uma flor,
Vives no meu jardim,
És espectacular,
És tudo para mim.

Mãe, tu és única,
És a minha satisfação,
És tudo para mim,
Guardo-te no coração.

Mãe, tu és única,
És uma pedra preciosa,
Gosto muito de ti,
Por seres tão valiosa.

Mãe, tu és única,
Dás-me muito amor,
Sem ti não sou nada,
Sentiria muita dor.

Kevin

4 de Maio - Dia da Mãe

A minha mãe é alegre,
É simpática e amorosa,
Gosto muito dela assim,
Porque é muito carinhosa.

Trabalhas muito,
Para me sustentar,
Cuidas bem de nós,
Para nada nos faltar.

Tratas bem da nossa casa,
Limpas tudo ao pormenor,
Gostas de ver tudo arrumado,
Com muito carinho e amor.

Jorge Miguel 4ºAno

4 de Maio - Dia da Mãe

No dia quatro de Maio,
O Dia da Mãe festejamos,
É um dia muito importante,
Por isso o assinalamos.

A Mãe é uma amiga,
Simpática e emocional,
Por isso gosto dela,
Por ser tão especial.

Mãe, tu és única,
Sincera e carinhosa,
Gosto muito de ti,
Por seres amorosa.

Adoro-te Mãe,
És a minha companhia,
És tudo para mim,
És amor e alegria.

Mãe gosto de ti,
Estás sempre a trabalhar,
Tratas bem da casa,
Para bonita ficar.

Eu dou-te sempre alegria,
Neste dia que é teu,
Se alguém te contraria!
Certamente não serei eu.

Adoro-te Mãe,
Estás sempre ao meu lado,
Quando preciso de ti,
Escutas-me com tudo o cuidado.

Diana 4ºano
O Dia da Mãe
Devemos de festejar
Com muita alegria
Para sempre recordar.

O Dia da Mãe
É um Dia especial
Com balões a voar
Num grande festival.

O Dia da Mãe
É Dia a festejar
Com carinho e amor
Para a mãe homenagear.

Luís Henrique – 4ºAno

4 de Maio - Dia da Mãe

Querida Mãe,
Estás sempre a trabalhar,
Gosto muito de ti,
E nunca paras para descansar.

Tratas bem da casa,
Nunca paras de limpar,
Adoras-nos tanto,
Conta connosco para ajudar.

Pedro Neto 4ºano
Parece uma flor
A mais bela e formosa
É a mãe do meu coração
Ela é muito amorosa.

Gosto muito do seu olhar,
Tudo nela é perfeito,
Tudo o que ela faz,
Tem um especial jeito.

No meu coração estás guardada
Nunca hei-de esquecer-te,
Sei que me amas também,
Por isso não quero perder-te.

Jéssica 4ºAno

4 de Maio - Dia da Mãe

O dia 4 de Maio
É um dia especial
É o Dia da Mãe
Por todo o Portugal.

A minha mãe
É muito carinhosa
Sincera e simpática
É especial e amorosa.

Tu és única
Tu és especial
Tu és sincera
Tu és fundamental.

Adoro-te Mãe
És tudo para mim
És a minha companhia
És a flor do meu jardim.

No dia 4 de Maio
O Dia da Mãe celebramos
É uma festa especial
Que todos amamos.

Dou-te muitos beijos
Abraços e flores
Porque tu reúnes
Todos os meus amores.

Com três letrinhas apenas
Escrevo a palavra “Mãe”
É das palavras pequenas
A maior que o mundo tem.

Mãezinha da minha alma
Como hoje é o teu dia
Festejamos este momento
Com muita alegria.

Laura Cristina 4ºAno

4 de Maio - Dia da Mãe

É o Dia da Mãe,
Vamos comemorar,
E muitos presentinhos,
Nós vamos te dar.

No dia 4 de Maio,
O dia da mãe vou comemorar.
Ela é a mais linda,
Está sempre pronta a ajudar.

A minha mãe para mim é tudo,
Pois sem ela ando perdida.
É um anjo abençoado,
É a guia da minha vida.
Mariana 4ºAno

4 de Maio – Dia da Mãe

Tem cabelos castanhos,
E olhos castanhos também,
É muito minha amiga,
Ela é a melhor Mãe.

A minha Mãe,
É linda como uma flor,
Ela é professora,
E ensina-me com amor.

A minha Mãe é especial,
Está sempre pronta a ajudar,
Tem um sorriso natural,
E muito amor para dar.

Pedro Camilo 4ºAno

Origem do Dia da Mãe


As mais antigas celebrações do Dia da Mãe remontam às comemorações primaveris da Grécia Antiga, em honra de Rhea, mulher de Cronos e Mãe dos Deuses.
Em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cybele, a Mãe dos Deuses romanos, e as cerimónias em sua homenagem começaram por volta de 250 anos antes do nascimento de Cristo.
Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo de Quaresma (40 dias antes da Páscoa) um dia chamado “Domingo da Mãe”, que pretendia homenagear todas as mães inglesas. Neste período, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões. No Domingo da Mãe, os servos tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
A maioria das fontes é unânime acerca da ideia da criação de um Dia da Mãe. A ideia partiu de Anna Jarvis, que em 1904, quando a sua mãe morreu, chamou a atenção na igreja de Grafton para um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, foi celebrado o primeiro Dia da Mãe, na igreja de Grafton, reunindo praticamente família e amigos. Nessa ocasião, a sra. Jarvis enviou para a igreja 500 cravos brancos, que deviam ser usados por todos, e que simbolizavam as virtudes da maternidade. Ao longo dos anos enviou mais de 10.000 cravos para a igreja de Grafton – encarnados para as mães ainda vivas e brancos para as já desaparecidas – e que são hoje considerados mundialmente com símbolos de pureza, força e resistência das mães.
Segundo Anna Jarvis seria objectivo deste dia tomarmos novas medidas para um pensamento mais activo sobre as nossas mães. Através de palavras, presentes, actos de afecto e de todas as maneiras possíveis deveríamos proporcionar-lhe prazer e trazer felicidade ao seu coração todos os dias, mantendo sempre na lembrança o Dia da Mãe.
Face à aceitação geral, a sra. Jarvis e os seus apoiantes começaram a escrever a pessoas influentes, como ministros, homens de negócios e políticos com o intuito de estabelecer um Dia da Mãe a nível nacional, o que daria às mães o justo estatuto de suporte da família e da nação.
A campanha foi de tal forma bem sucedida que em 1911 era celebrado em praticamente todos os estados.
Em 1914, o Presidente Woodrow Wilson declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.
Hoje em dia, muitos de nós celebramos o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis há 96 anos atrás.
Apesar de ter passado um século, o amor que foi oficialmente reconhecido em 1907 é o mesmo amor que é celebrado hoje e, à nossa maneira, podemos fazer deste um dia muito especial. E é o que fazem praticamente todos os países, apesar de cada um escolher diferentes datas ao longo do ano para homenagear aquela que nos põe no mundo.
Em Portugal, até há alguns anos atrás, o dia da mãe era comemorado no dia 8 de Dezembro, mas actualmente o Dia da Mãe é festejado no 1º Domingo de Maio, em homenagem a Maria, Mãe de Cristo.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

O 25 de Abril


Movimentações militares durante a Revolução

No dia 24 de Abril de 1974, um grupo de militares comandados por Otelo Saraiva de Carvalho instalou secretamente o posto de comando do movimento golpista no quartel da Pontinha, em Lisboa.
Às 22h 55m é transmitida a canção ”E depois do Adeus”, de Paulo de Carvalho, pelos Emissores Associados de Lisboa, emitida por Luís Filipe Costa. Este foi um dos sinais previamente combinados pelos golpistas e que despoletava a tomada de posições da primeira fase do golpe de estado.
O segundo sinal foi dado às 0h20 m, quando foi transmitida a canção ”Grândola Vila Morena“, de José Afonso, pelo programa Limite, da Rádio Renascença, que confirmava o golpe e marcava o início das operações. O locutor de serviço nessa emissão foi Leite de Vasconcelos, jornalista e poeta moçambicano.
O golpe militar do dia 25 de Abril teve a colaboração de vários regimentos militares que desenvolveram uma acção concertada.
No Norte, uma força do CICA 1 liderada pelo Tenente-Coronel Carlos Azeredo toma o Quartel-General da Região Militar do Porto. Estas forças são reforçadas por forças vindas de Lamego. Forças do BC9 de Viana do Castelo tomam o Aeroporto de Pedras Rubras. Forças do CIOE tomam a RTP e o RCP no Porto. O regime reagiu, e o ministro da Defesa ordenou a forças sedeadas em Braga para avançarem sobre o Porto, no que não foi obedecido, já que estas já tinham aderido ao golpe.
À Escola Prática de Cavalaria, que partiu de Santarém, coube o papel mais importante: a ocupação do Terreiro do Paço. As forças da Escola Prática de Cavalaria eram comandadas pelo então Capitão Salgueiro Maia.
O Terreiro do Paço foi ocupado às primeiras horas da manhã. Salgueiro Maia moveu, mais tarde, parte das suas forças para o Quartel do Carmo onde se encontrava o chefe do governo, Marcello Caetano, que ao final do dia se rendeu, fazendo, contudo, a exigência de entregar o poder ao General António de Spínola, que não fazia parte do MFA, para que o "poder não caísse na rua". Marcello Caetano partiu, depois, para a Madeira, rumo ao exílio no Brasil.
A revolução, apesar de ser frequentemente qualificada como "pacífica", resultou, contudo, na morte de 4 pessoas, quando elementos da polícia política dispararam sobre um grupo que se manifestava à porta das suas instalações na Rua António Maria Cardoso, em Lisboa.
O levantamento militar do dia 25 de Abril de 1974 derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças leais ao governo, que cederam perante o movimento popular que rapidamente apoiou os militares.
Este levantamento é conhecido por 25 de Abril ou Revolução dos Cravos. O levantamento foi conduzido pelos oficiais intermédios da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial.
Considera-se, em termos gerais, que esta revolução devolveu a liberdade ao povo português (denominando-se "Dia da Liberdade" o feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução).

Cravo



O cravo tornou-se o símbolo da Revolução de Abril de 1974.
Com o amanhecer as pessoas começaram a juntar-se nas ruas, apoiando os soldados revoltosos; alguém (existem várias versões, sobre quem terá sido, mas uma delas é que uma florista contratada para levar cravos para a abertura de um hotel, foi vista por um soldado que pôs um cravo na espingarda, e em seguida todos o fizeram), começou a distribuir cravos vermelhos pelos soldados, que depressa os colocaram nos canos das espingardas.

Pesquisa realizada por:
Diana Mata – 4º Ano de Escolaridade
EB1/PE DR. CLEMENTE TAVARES - GAULA

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Dia da Liberdade
Dia de Revolução
Todos comemoram
Com muita emoção.

O dia 25 de Abril
É um dia a assinalar
E por todo o país
Nós vamos festejar.

Com cravos em botão
Na ponta da espingarda
Os soldados saíram à rua
Logo de madrugada.

No dia 25 de Abril
É Feriado Nacional
Comemora-se a Liberdade
Por todo o Portugal.

“Grândola, Vila Morena”
É o nome da canção
Que surgiu na rádio
Ao iniciar a Revolução.

Joana

Portugal inteiro gritou:
“- Viva a Liberdade!”
“- Fim à Ditadura!”
“- Viva a igualdade!”

O dia 25 de Abril
É uma data a festejar
É um dia importante
Para sempre recordar.

Os cravos perfumaram
Sentimentos e emoções
Levaram a Liberdade
A todos os corações.

Kevin

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

"Viva a Liberdade!"
Espalhou-se pela cidade
Caiu a Democracia
Viva a igualdade.

O dia 25 de Abril
É um dia de alegria
Terminou a Ditadura.
Restaurou-se a Democracia.

Todos saíram à rua
Para juntos festejar
Pois as Forças Armadas
A Pátria vão libertar.

Pedro Silva

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Cravos nas espingardas
Os soldados colocaram
E pelas ruas da cidade
Todos alegres marcharam.

Jéssica

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Os soldados saíram à rua
Com as espingardas na mão
Em vez de dispararem
Espalharam emoção.

Pedro Camilo e Jorge

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O Dia 25 de Abril
É o dia da Liberdade
Morreu a Ditadura
O medo e a ansiedade.

O Dia da Liberdade
É um dia especial
É festejado a 25 de Abril
E é feriado nacional.

O Dia da Liberdade
É comemorado em Portugal
É uma data especial
Porque é Feriado Nacional.

O Dia 25 de Abril
É dia da Liberdade
Caiu a Ditadura
Instaurou-se a igualdade.

O dia 25 de Abril
É um dia especial
As pessoas festejam
Este Feriado Nacional.

Laura

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Na Ditadura Política
Não havia Liberdade
Reinava nos corações
Medo e ansiedade.

Por todo o país
Gritou-se: “Liberdade”
Viva 25 de Abril
Com toda a felicidade.

No Dia 25 de Abril
A Liberdade festejamos
E por todo o país
Este dia assinalamos.

No Dia 25 de Abril
O dia da liberdade festejamos
Com amor e carinho
Este dia assinalamos.

O Dia 25 de Abril
É um dia importante
Festejamos com alegria
Esta data emocionante.

Daniela Filipa

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O dia 25 de Abril
Todos nós comemoramos
Caiu a Ditadura
É por isso que festejamos.

O Povo de Portugal
Gritou por toda a cidade
“Viva a Democracia!”
“Viva a Liberdade!”

O dia da Liberdade
É um dia especial
Terminou a Ditadura
Que era tão desigual.

Depois de alguns anos
Debaixo da Ditadura
Os cravos saíram à rua
Acabando com a amargura.

Os soldados saíram à rua
Com espingardas na mão
Em vez de atirar balas
Espalharam cravos em botão.

Todos saíram à rua
Para ver e festejar
Pois as Forças Armadas
A Pátria vão Libertar.

É dia 25 de Abril
Viva a Democracia
A Ditadura foi embora
E veio a alegria.

Mariana

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O Dia da Liberdade
É para todos festejar
Por todo o nosso país
É uma data a assinalar.

Luís Henrique

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Soldados a protestar
Contra tanta opressão
Do governo da Ditadura
Que governou a Nação.

O dia 25 de Abril.
Dia da Revolução
Morreu a Ditadura
Por toda a Nação.

Dia da Liberdade
Vamos todos festejar
Os soldados com armas
Mas não vão disparar.

Os soldados saíram à rua
Para a Ditadura vencer
Levaram as espingardas
Mas não foram combater.

Pedro Neto e Luís Henrique

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

Viva a Liberdade!
Ouviu-se pela cidade
Caiu a Ditadura
Reinou a felicidade.

O Dia da Liberdade
É Feriado Nacional
As pessoas gritaram
Por todo o Portugal.

Roberto

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O Dia 25 de Abril
É o Dia da Liberdade
Festeja-se a Revolução
Que instaurou a igualdade.

Os soldados iniciaram
Uma grande Revolução
Para nos libertar
De toda a opressão.

O dia 25 de Abril
É Feriado Nacional
Acabou a Ditadura
E nasceu algo real.

No dia 25 de Abril
Houve uma Revolução
Acabou a Ditadura
E toda a opressão.

Pedro Camilo

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O Povo de Portugal
Ouviu uma canção
Saiu todo à rua
Para fazer a Revolução.

No dia 25 de Abril
Festejamos a liberdade
Vemos cravos espalhados
Por toda a cidade.

No dia 25 de Abril
A Democracia festejamos
Um pouco por todo o país,
Este dia assinalamos.

O Dia da Liberdade
É um dia especial
Abaixo a Ditadura
Pelo espaço Nacional.

O dia 25 de Abril
É dia de Liberdade
É um dia de alegria
Que reinou a igualdade.

Diana

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

25 de Abril
Dia de alegria
Morreu a Ditadura
Nasceu a Democracia.

Pedro
Neto

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

“Grândola, Vila Morena”
Foi colocada no ar
As pessoas saíram à rua
Para a Democracia instalar.

Soldados com espingardas
Saíram para festejar
O regresso da Liberdade
E a Democracia instalar.

O dia 25 de Abril
É o dia da Liberdade
Chegou a Democracia
E renasceu a igualdade.

Surgiu a Senha na Rádio
Para iniciar a Revolução
“ Grândola, Vila Morena”
Foi o nome da canção.

Dia 25 de Abril
Um dia importante
E para as pessoas
É um dia emocionante.

João Diogo

25 DE ABRIL – DIA DA LIBERDADE

O Dia da Liberdade
É um dia especial
Para os portugueses
É Feriado Nacional.

O Dia 25 de Abril
É Feriado Nacional
Terminou a Ditadura
Por todo o Portugal.

Jorge

terça-feira, 22 de abril de 2008

Dia 22 de Abril – Dia Mundial da Terra


No dia 22 de Abril,
O Dia da Terra festejamos,
E por todo o Mundo,
Este dia assinalamos.

Este dia vamos festejar,
Com alegria e imaginação,
Saudemos o nosso Planeta,
Com terna emoção.

Nós, não devemos poluir,
Para a Terra ajudar,
Pois se cuidarmos dela,
A conseguiremos salvar.

A Terra é o nosso Planeta,
É onde todos nós habitamos,
Precisamos muito dela,
Porque a amamos.

A Terra é mágica,
Desperta emoções,
Melhora-nos a vida,
Alegra os corações.

A Terra é linda,
Magnifica e valiosa.
Gostamos muito dela,
Porque é Preciosa.

O nosso Planeta
É bem redondinho,
E visto do Espaço,
Parece azulinho.

A Terra é colorida,
E de rara beleza,
Paisagens únicas,
Compõem a Natureza.

A Terra está ameaçada,
É tempo de a preservar,
Não a devemos poluir,
Se a quisermos a salvar.

Precisamos da Terra,
Para conseguirmos viver,
Tratemos bem dela,
Se quisermos sobreviver.

A Terra é espantosa,
Tem paisagens encantadoras,
Mas as noticias que correm,
São pouco animadoras.

A Terra está doente,
Temos de a salvar,
É nossa função,
Ajudar a limpar.

A Terra é importante,
Para a nossa sobrevivência,
Todos os seus habitantes,
A tratam com persistência.

A Terra está doente,
Por isso está a mudar,
A Natureza está diferente,
E a temperatura a aumentar.

A poluição é uma ameaça,
Séria e assustadora,
Um pouco por todo o Mundo,
É ameaçadora.

A Terra está a aquecer,
O gelo a derreter,
Animais a morrer,
E incêndios a acontecer.

A Terra está doente,
A temperatura está a aquecer,
O mar está ameaçado,
E espécies a desaparecer.

A poluição está a aumentar,
O verde a desaparecer,
Se isto não mudar,
Não podemos sobreviver.

A Terra está a aquecer,
A temperatura a aumentar,
O gelo a diminuir,
E a Natureza a mudar.

O clima está descontrolado,
Tempestades a acontecer,
Animais ameaçados,
E o Mundo a aquecer.

A Terra está a sofrer,
O mar a aumentar,
Espécies a morrer,
E o clima a modificar.

A Terra está a sofrer,
O clima a alterar,
Aumentos da temperatura,
Começam a se verificar.

A poluição é uma ameaça,
Séria e assustadora,
Muitas pessoas sofrem,
Com doenças perturbadoras.

A poluição é uma ameaça,
Seria e assustadora,
Está sempre a aumentar,
Esta doença perturbadora.

A Terra está doente,
O gelo está a derreter,
O nível do mar a subir,
E espécies a desaparecer.

Hoje é um dia especial,
É dia a assinalar,
Pois o nosso Planeta,
Queremos ajudar.

Trabalho Colectivo dos alunos do 4º Ano de Escolaridade

domingo, 20 de abril de 2008

Papel usado deve ser reciclado!

Origem do papel

O papel é formado por vários elementos de origem vegetal.
O papel é feito mediante várias transformações mecânicas e químicas de fibras vegetais ou de fibras minerais.
O papel surgiu na China e depois foi levado para a Coreia e para o Japão.
Mais tarde os árabes induziram-no na Pérsia e em toda a costa mediterrânica.
Dizem que a invenção do papel aconteceu no ano de 105 antes de Cristo.

Visita da Equipa da Direcção Regional do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira à nossa escola

No dia 15 de Abril de 2008 pelas 9 horas, veio à nossa escola a Equipa da Direcção Regional do Ambiente e Recursos Naturais da Madeira.
Esta equipa de trabalho, formada pela Dra. Eunice Pinto e pela Dra. Sofia Silva, veio à nossa escola verificar, in loco, a aplicação do Projecto Eco – Escolas.
Participaram nesta reunião a equipa da Direcção Regional do Ambiente, a Directora da escola e a Coordenadora do Projecto Eco – Escolas da nossa escola.
Após o preenchimento de um questionário, relativo à concretização do Projecto Eco – Escolas, realizou-se uma visita guiada ao interior e exterior da nossa escola.
Agradecemos a visita desta equipa de trabalho à nossa escola.

Final Regional das Ortografíadas


A aluna do 4º ano de escolaridade da nossa escola, Joana Cristina Correia Nunes, participou na Final Regional das Ortografíadas, que se realizou na sexta – feira dia 18 de Abril, pelas 10 horas, no Auditório da Universidade da Madeira na Rua do Castanheiro.
Participaram nesta prova alunos de dez concelhos da região, num total de 20 alunos.
A aluna Joana Cristina classificou-se em oitavo lugar com 90%.
Parabéns à aluna Joana Cristina, que tão brilhantemente representou a nossa escola e o nosso concelho.

Uma tarde de Primavera

Estávamos no mês de Abril.
O sol brilhava no céu, os passarinhos chilreavam nas árvores, as borboletas dançavam à volta das flores, as abelhas colhiam pólen, os sapos apanhavam banhos de sol, as flores abriam as suas pétalas, os patinhos nadavam no lago...
O Joãozinho, da janela do seu quarto, contemplava, a Natureza maravilhosa que o rodeava. Foi então que resolveu sair de casa para observar, de perto toda a beleza natural que o envolvia.
À tarde o Joãozinho regressou a casa para passar as fotografias para o seu computador.
Ao ver as fotografias, a mãe do Joãozinho decidiu enviá-las para um concurso de fotografias.
Já no mês de Maio, a mãe do Joãozinho recebeu a notícia que o seu filho tinha ganho o concurso de fotografias, no qual participou.
No dia 5 de Junho – Dia Mundial do Ambiente realizou-se a cerimónia de entrega de prémios.
O Joãozinho ficou muito contente quando recebeu como prémio uma câmara de filmar.

Alunos do 4ºano

O Sapo Pintinhas

Era uma vez um sapo que vivia num lago.
Nesse lago viviam muitos peixinhos coloridos e nenúfares onde os sapos gostavam de apanhar sol.
Um dia, estava o sapo Pintinhas a apanhar banhos de sol, quando de repente o Joãozinho deu um mergulho no lago e assustou o sapo Pintinhas.
O Pintinhas assustou-se de tal forma que caiu do nenúfar onde se encontrava a dormitar e perdeu a sua voz.
O Joãozinho ao ver a aflição do Pintinhas, resolveu ajudá-lo.
O Joãozinho levou o Pintinhas ao Terapeuta da Fala que ajudou-o a recuperar a voz.
O Joãozinho ficou muito feliz e prometeu ter mais cuidado, da próxima vez que fosse mergulhar no lago.

Alunos do 4º ano

sábado, 12 de abril de 2008

Grupo de Cordofones da nossa escola participou no programa televisivo da RTP-Madeira – “Lado a Lado”

O Grupo de Cordofones da nossa escola participou, no dia 10 de Abril de 2008, no programa televisivo da RTP-Madeira – “Lado a Lado”.
Os alunos tocaram a música Tradicional Madeirense: “A Maré está Cheia”, orientados pelo professor Rodolfo Cró, professor responsável por este Grupo.
O Convite formulado, ao Grupo de Cordofones da nossa escola, surgiu na sequência da divulgação do Encontro Regional de Modalidades Artísticas - 3º Encontro de Cordofones, a realizar-se no dia 11 de Abril de 2008, no Fórum Machico.
Agradecemos o convite formulado à nossa Escola para participar neste programa televisivo.
Agradecemos igualmente a todos os Encarregados de Educação pelo seu empenho e disponibilidade.

Encontro Regional de Modalidades Artísticas - 3º Encontro de Cordofones

No dia 11 de Abril de 2008, pelas 10h30m, o Grupo de Cordofones da nossa escola participou no Encontro Regional de Modalidades Artísticas - 3º Encontro de Cordofones que se realizou no Fórum Machico.
Participaram neste Encontro, organizado pelo Gabinete Coordenador de Educação Artística, cerca de 365 alunos de escolas do 1º, 2º e 3º Ciclos do Ensino Básico da Região.
Ao todo, participaram neste Encontro 16 Grupos que tocaram músicas populares e músicas tradicionais Madeirenses.
A nossa escola tocou a Música Tradicional Madeirense:”A maré está cheia” sob a orientação do professor Rodolfo Cró.
Agradecemos todo o empenho e dedicação do professor de Cordofones da nossa Escola, que tão brilhantemente preparou os nossos alunos para participarem neste Evento. Agradecemos também ao Gabinete Coordenador de Educação Artística, à Câmara Municipal de Santa Cruz e ao Clube Sport da Juventude de Gaula todo apoio prestado à nossa Escola.

Acção de Sensibilização: A Freira do Bugio

No dia 3 de Abril de 2008 veio à nossa escola a Dra. Sara Freitas do Parque Natural da Madeira falar-nos sobre a Freira do Bugio.
Esta Acção de Sensibilização permitiu – nos ficar a conhecer muitas coisas, sobre esta ave marinha, que actualmente se encontra em vias de extinção.
A Freira do Bugio é uma ave que tem o corpo coberto de penas pretas, tendo uma parte junto à cabeça com penas brancas, daí a origem do seu nome.
Esta ave tem dois canais, localizados por cima do bico, que lhe permite expulsar o excesso de sal. É no mar alto que passa muitos meses procurando a terra, apenas para fazer o ninho e pôr o seu ovo. Cada casal de Freiras põe apenas um ovo por ano.
Após o nascimento das freiras bebés, os pais tomam conta do seu bebé alternadamente, isto é, enquanto um sai à procura de alimento o outro fica a cuidar da cria.
Quando as crias crescem e precisam de mais espaço para exercitarem as asas, saem dos ninhos e aos poucos vão se deslocando pelo pequeno planalto.
Na Ilha do Bugio existem aproximadamente 150 casais de freiras. É por isso que estas aves estão em vias de extinção.
Esta Acção de Sensibilização foi muito interessante.

Pedro Camilo – 4º Ano

A Freira do Bugio

A Freira do Bugio é uma ave que está em vias de extinção. É uma ave marinha que passa muitos meses no mar.
Esta ave marinha escolhe um pequeno planalto que existe na Ilha do Bugio para fazer o seu ninho e colocar o seu ovo.
A Freira do Bugio escolhe este pequeno planalto porque é um local seguro e de difícil acesso.
A Freira do Bugio é uma espécie vulnerável porque existe uma população pequena destas aves.

Mariana – 4º Ano

Lenda da origem da Ilha de Timor

Conta uma lenda que em tempos que já lá vão, vivia na ilha Celebes um crocodilo muito velho, que não conseguia caçar peixes no rio.
Certo dia, cheio de fome, o crocodilo decidiu procurar comida e partiu à procura de algo para comer. Andou, andou até não poder mais.
Como o crocodilo já não tinha forças para continuar à procura de alimento caiu ao chão, sem conseguir continuar a caminhada.
Ao ver o crocodilo sem forças um rapaz aproximou-se dele e arrastou-o pela cauda.
Como recompensa, pela ajuda prestada pelo rapaz, o crocodilo ofereceu-se para transportá-lo ás costas, sempre que ele quisesse navegar.
O rapaz aceitou com agrado a recompensa do crocodilo.
Todavia o crocodilo manteve a recompensa por pouco tempo porque perante uma nova situação de fome pensou comer o seu companheiro. Antes porém consultou outros animais que se mostraram indignadíssimos com as intenções do crocodilo.
Cheio de vergonha e com remorsos o crocodilo resolveu partir para longe, para um sítio onde ninguém o conhecesse, pois só assim conseguiria enfrentar novamente os outros animais.
Antes de partir o crocodilo procurou o rapaz e convidou-o a viajarem juntos, o que agradou o rapaz.
Juntos fizeram uma longa viagem, até que o crocodilo sentiu-se exausto, parou para descansar e o seu corpo transformou-se numa bela ilha.
O rapaz tornou-se homem e chamou Timor à ilha. Timor significa Oriente.

Texto Colectivo – Alunos do 4º Ano

sexta-feira, 4 de abril de 2008

Alterações Climáticas

A Borboleta e a Flor

Um dia uma borboleta ia a passear num belo jardim quando viu uma flor de rara beleza. A borboleta ficou encantada com a beleza da flor e resolveu pousar para observá-la de perto.
A flor ficou assustada com a aproximação da borboleta.
A borboleta pousou em cima da flor e as duas começaram a conversar.
Borboleta – Olá flor!
Flor – Vai-te embora!
Borboleta - Não tenhas medo de mim, eu não te faço mal!
Flor – Não me vais arrancar como fizeram a todas as minhas amigas?
Borboleta – Não, eu nunca faria isso a uma flor tão bonita!
Flor – Obrigado pelo elogio!
Borboleta – Como te chamas?
Flor – Eu chamo-me Mitó. E tu?
Borboleta – Eu chamo-me Didi.
Flor – Tens um nome muito bonito.
Borboleta – Obrigado. O teu nome também é muito bonito, mas mais bonitas ainda são as tuas belas pétalas!
Flor – Fico muito agradecida pelas tuas palavras!
Borboleta – Queres brincar comigo?
Flor - Sim. Mas a que é que pensas jogar?
Borboleta – Ao Jogo da Repetição.
Flor – Nunca ouvi falar nesse jogo. Fala-me desse jogo.
Borboleta – Primeiro temos de escolher um grupo de palavras: frutos, animais, nomes de pessoas, nomes de países e cores. Depois cada um dos participantes no jogo terá de dizer um nome, que pertença ao grupo das palavras escolhidas, sem repetir as palavras. Ganha o participante que for capaz de dizer um maior número de palavras.
Flor – Já percebi. Podemos começar a jogar?
Assim a borboleta e a flor passaram bons momentos a jogar ao Jogo da Repetição.
Até que a noite chegou. A borboleta ao aperceber-se que já estava escuro disse:
Borboleta – Agora tenho de ir para casa.
Flor – Está bem. Mas promete – me que voltarás para brincarmos.
Borboleta – Claro que voltarei para visitar-te, para brincarmos e conversarmos.
Flor – Até amanhã.
Borboleta – Até amanhã.
A partir desse dia a borboleta voltava todos os dias ao jardim para visitar a sua amiga flor.

Joana e Pedro Silva – 4º Ano.

A Borboleta e a Flor

Um dia uma borboleta ia a passear num belo jardim quando viu uma flor de rara beleza. A borboleta ficou encantada com a beleza da flor e resolveu pousar para observá-la de perto.
A flor ficou assustada com a aproximação da borboleta.
A borboleta pousou em cima da flor e as duas começaram a conversar.
Borboleta – Olá, como te chamas?
Flor – Eu chamo-me Margarida. E tu?
Borboleta – Eu chamo-me Lisa.
Flor – Queres ajudar-me a cuidar da Natureza?
Borboleta – Pode ser Margarida.
Flor – Sabes o que é o Pilhão, o Papelão, Vidrão e o Embalão, Lisa?
Borboleta – Sei, sim . São os contentores do lixo que compõem o Ecoponto.
Flor – Se encontrares algum lixo diz-me alguma coisa.
Borboleta – Lisa, encontrei uma caixa de cereais. Para onde vai a caixa de cereais?
Flor – Vai para o Papelão o contentor azul.
Borboleta – Encontrei outra coisa Lisa.
Flor – O que encontraste?
Borboleta – Uma pilha.
Flor – Então essa pilha vai para o Pilhão o contentor mais pequeno – o contentor vermelho
Borboleta – Margarida encontrei duas coisa uma caixa de leite e uma garrafa de vidro.
Flor – A garrafa de vidro vai para o Vidrão – o contentor verde.
Borboleta – E a caixa de leite?
Flor – A caixa de leite vai para o Embalão – o contentor amarelo.
Borboleta – Está a anoitecer por isso tenho de ir embora.
Flor – Está bem, adeus Lisa.
Borboleta – Adeus Margarida até à próxima.

João Diogo e Elsa_4ºano

A Borboleta e a Flor

Um dia uma borboleta ia a passear num belo jardim quando viu uma flor de rara beleza. A borboleta ficou encantada com a beleza da flor e resolveu pousar para observá-la de perto.
A flor ficou assustada com a aproximação da borboleta.
A borboleta pousou em cima da flor e as duas começaram a conversar.
Borboleta – Olá como te chamas?
Flor – Eu chamo-me Margarida Bela e tu?
Borboleta – Eu chamo – me Lili Cores. Desculpa - me se te assustei!
Flor – Não faz mal borboleta. Porque pousas-te em mim borboleta?
Borboleta – Porque a tua beleza encantou-me e desci para ver-te de perto.
Flor – E porque estás aqui sozinha?
Borboleta – Porque vinha com a minha família e perdi-me! Por acaso não viste a minha família!
Flor – Por acaso até vi. Acabaram de passar aqui.
Borboleta – Muito obrigada flor!
Flor – Foi um prazer ajudar – te e sempre que precisares de ajuda podes contar comigo.
Borboleta – Tenho de ir embora. A noite está a chegar e vivo muito longe.
Flor – Adeus borboleta. Volta sempre que quiseres eu estarei aqui.
Borboleta – Obrigado pelo convite. Em breve voltarei para fazer – te companhia.
E assim a borboleta e a flor tornaram – se boas amigas.

Pedro Camilo e Diana – 4º Ano

A Borboleta e a Flor

Um dia uma borboleta ia a passear num belo jardim quando viu uma flor de rara beleza. A borboleta ficou encantada com a beleza da flor e resolveu pousar para observá-la de perto.
A flor ficou assustada com a aproximação da borboleta.
A borboleta pousou em cima da flor e as duas começaram a conversar.
Borboleta: - Olá!
Flor: - Olá!
Borboleta: - Eu não te vou fazer mal só te quero conhecer.
Flor: - Está bem!
Borboleta: -Como te chamas?
Flor: - Chamo-me, Rosa Branca.
Borboleta: - Queres saber o meu nome?
Flor: - Sim, quero!
Borboleta: -Chamo-me, Borboleta Amável.
Flor: - Que lindo nome tens tu!
Borboleta: - Obrigada!
Flor: - Estas são as minhas melhores amigas.
Borboleta: - Elas são muito bonitas!
Flor: - Ouviram amigas.
Borboleta: - Mas tu és a mais bonita de todas as flores. És diferente, simpática, alegre e divertida.
Flor: - Obrigada Borboleta! És muito amável.
Borboleta: - Tu tornas a Natureza ainda mais bela. Este jardim sem a tua presença não seria o mesmo.
Flor: - Muito obrigada! És muito querida.
Borboleta: - Queres brincar comigo?
Flor: - Sim, mas porque é que decidiste pousar em mim e não nas outras flores?
Borboleta: - As tuas pétalas são muito bonitas e coloridas. Não me admiro nada que não tenhas muitas visitas.
Flor: - As tuas asas também são muito bonitas e muito coloridas. Tu és diferente das outras borboletas.
Borboleta: - Obrigada!
Flor: - Então vamos brincar?
Borboleta: - Em vez de brincarmos vamos jogar, está bem?
Flor: - Ok!
Borboleta: - Desculpa-me flor mas agora não posso jogar contigo porque já se faz tarde e os meus pais podem estar preocupados comigo.
Flor: - Não faz mal fica para outro dia. Voltas amanhã para conversarmos e brincarmos um pouco.
Borboleta: - Claro que volto. Até amanhã flor!
Flor: - Até amanhã!
A partir desse dia as duas amigas encontravam-se todos os dias.

Laura Cristina e Roberto José
4ºano

Madeira – Terra de belas Flores

Na nossa ilha existem muitas espécies de flores, algumas delas são indígenas e outras são exóticas.
A diversidade de flores, existentes na nossa ilha, deve-se ao clima ameno que é propício ao seu desenvolvimento.
Devido à grande variedade de flores, a nossa ilha é conhecida em todo o Mundo como a “Terra das Flores”.
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor, para homenagear e divulgar a beleza das flores que existem na nossa ilha.
Do Programa da Festa da Flor consta a realização do Cortejo da Flor, a realização de um tapete de flores naturais, exposições de flores, jóias e fotografias.
Também integra o programa de actividades da Festa da Flor a construção do Muro da Esperança, com flores naturais, no Largo do Município no Funchal. Este muro é feito pelos alunos das várias escolas do Concelho do Funchal.
A Festa da Flor atrai à nossa ilha muitos turistas.

Joana Cristina e Pedro Silva – 4º Ano

A Madeira e as Flores

A Madeira tem muitas espécies de flores devido ao clima ameno.
Muitas das flores que aqui existem são exóticas, não são naturais de cá, foram trazidas de outros países. Também existem algumas flores indígenas como: massaroco, ensaião, orquídea da serra…
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor para divulgar a diversidade de flores que existem na nossa ilha.
Este ano o Cortejo da Flor realiza-se, no Funchal, no Domingo – dia 6 de Abril.
Por esta altura muitos turistas visitam a nossa ilha para assistirem ao Cortejo da Flor, para visitarem as exposições e contemplar o tapete de flores naturais.

Pedro Neto e Bernardo – 4º Ano

A Madeira e as Flores

Na nossa ilha existem muitas flores de várias espécies cores.
As flores mais conhecidas são: as orquídeas, as proteas, os antúrios, os sapatinhos, as estrelícias, as rosas, os cravos…
Um pouco por toda a ilha podemos observar muitas espécies de flores que despertam o interesse e a admiração de todos os que nos visitam.
A maior parte das flores que existem actualmente na nossa ilha são exóticas, não são naturais de cá, foram trazidas de outras partes do Mundo.
Todos os anos, realiza-se a Festa da Flor para divulgar a beleza das nossas flores.
Este ano o Cortejo da Flor realiza-se no dia 6 de Abril.

Jorge Miguel e Daniela Filipa – 4º Ano

A Madeira e as flores

O clima ameno é propício ao desenvolvimento de muitas espécies de flores.
Na nossa ilha existem muitas espécies de flores porque o clima é muito bom.
Na nossa ilha existem espécies de flores indígenas e espécies de flores exóticas.
As espécies de flores mais conhecidas são: massaroco, orquídea da serra, ensaião, a estrelícia, a orquídea, os antúrios, as proteas, as bungavilas, os sapatinhos…
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor em homenagem às muitas flores que existem na nossa ilha.
Nesta época, muitos turistas visitam a nossa ilha para assistirem ao Cortejo da Flor que percorre algumas ruas da Cidade do Funchal.
Também, junto à Igreja da Sé, podemos observar um tapete feito de flores naturais e exposições alusivas à flor.
Este ano o Cortejo da Flor realiza-se no dia 6 de Abril.

Kevin e Mariana – 4º Ano

Madeira - Terra de belas flores

Na ilha da Madeira existem muitas espécies de flores.
Algumas espécies de flores são indígenas e outras são exóticas.
Um pouco por toda a nossa ilha podemos observar belas flores que enfeitam a Natureza e tornam a Madeira mais bela.
Muitos turistas visitam a nossa ilha e gostam de fotografar e filmar as várias espécies de flores que aqui existem.
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor.
Um Cortejo com muitas flores percorre algumas ruas do Funchal. Também podemos observar, na Placa Central da Avenida Arriaga, um tapete feito de flores naturais e exposições de fotografias, flores e jóias alusivas à flor.

Jéssica e Xavier
4º Ano

A Festa da Flor

Na nossa ilha existem flores de várias espécies e muitas delas são exóticas, isto é, não são naturais de cá foram trazidas de outros países.
Actualmente podemos observar uma grande variedade de flores nos jardins existentes por toda a ilha.
As espécies de flores mais conhecidas são: as rosas, os cravos. as estrelícias, as proteas, os antúrios, as orquídeas, as bungavilas...
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor em homenagem as várias espécies de flores existentes na nossa ilha.
Este ano a Festa da Flor realiza-se no dia 6 de Abril.

João Diogo e Elsa

Madeira – Terra de belas flores

Na Ilha da Madeira existem muitas variedades de flores.
As flores mais conhecidas são: as buganvílias, as estrelícias, as Orquídeas, os sapatinhos, os antúrios e as proteas.
A maior parte das espécies de flores que existem actualmente na nossa ilha são espécies exóticas, isto é não são naturais de cá, foram trazidas de outros países.
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor.
Esta festa atrai à nossa Ilha muitos turistas que vêm para assistir ao cortejo da Flor, que percorre algumas ruas da Cidade do Funchal.
Os turistas que nos visitam gostam muito de visitar as exposições e os tapetes de flores naturais que estão ao público nesta época.
Este ano, a Festa da Flor realiza-se no dia 6 de Abril.

Laura e Roberto 4ºano

Madeira – Terra de belas Flores

A Madeira é uma ilha boa para o desenvolvimento das flores porque tem um clima ameno, não é muito quente nem muito frio.
As espécies de flores mais conhecidas são: Bungavílas, Estrelícias, Antúrios, Proteas, Arrumes, Orquídeas e Sapatinhos.
No Funchal, junto à Igreja da Sé, todos os anos é feito um tapete de flores e no Domingo realiza-se o Cortejo da Flor.
No Largo que fica à frente da Câmara Municipal do Funchal, todos os anos as crianças, das várias escolas do Concelho do Funchal, constroem o Muro da Esperança.
Antigamente havia menos flores do que existem hoje em dia porque muitas das espécies de flores vieram de outros países.
Este ano a Festa da Flor realiza-se no próximo Domingo dia 6 de Abril.

Tiago João e Luís Henrique – 4º Ano

A Madeira e as flores

A nossa ilha tem muitas flores por ter um clima ameno favorável ao seu desenvolvimento.
Um pouco por toda a ilha podemos observar várias espécies de flores que a tornam muito bonita.
Muitos turistas visitam a nossa ilha para observar, fotografar e filmar a beleza das flores.
Todas as casas Madeirenses têm jardins e vasos com flores de várias espécies.
Um pouco por todo o Mundo a nossa ilha é conhecida como a terra das flores pela grande diversidade de flores que aqui existem.
Todos os anos, no início da Primavera, realiza-se a Festa da Flor para divulgar as flores que existem na nossa terra.
A Festa da Flor decorre no Funchal onde se realiza um cortejo com muitas flores. Também é feito um tapete de flores no Funchal junto à Igreja da Sé.
Este ano está aberta ao público uma exposição com jóias alusivas às flores, uma exposição de fotografias e uma exposição de flores.
No Sábado anterior à festa da flor as crianças que frequentam as escolas do Concelho Funchal deslocam-se até ao largo do município para construírem o Muro da Esperança.

Pedro Camilo e Diana - 4.º Ano

sábado, 15 de março de 2008

Páscoa

Dia da Árvore

Dia 21 de Março – Dia Mundial da Árvore

No dia 21 de Março comemoramos o Dia Mundial da Árvore e da Floresta.
Todos os anos na minha escola costumamos assinalar este dia, com exposições, concursos, palestras, arranjo dos jardins e plantação de árvores.
Este ano não faremos muitas actividades relacionadas com a árvore porque estamos em período de férias da Páscoa, mas nós iremos com a nossa professora ao CICNA – Núcleo dos Dragoeiros, participar nas actividades programadas pelo Parque Natural da Madeira, para assinalar esta data.
Nós levaremos alguns trabalhos realizados pelos alunos das várias turmas da nossa escola e em troca receberemos alguns prémios de participação na iniciativa.

Pedro Silva – 4º Ano

A Árvore

No dia 21 de Março festejamos o Dia Mundial da Árvore e da Floresta.
Um pouco por todo o Mundo este dia é assinalado de muitas maneiras diferentes.
Aqui na nossa terra nós costumamos plantar árvores para assinalar este dia, pois só plantando árvores podemos garantir que elas continuem a existir.
As árvores são muito importantes porque elas dão-nos muitas coisas, que precisamos para viver. Elas dão-nos a madeira, a resina, a cortiça, a sombra e renovam o nosso oxigénio.
As árvores tornam a Natureza mais bela!

Jéssica Carina – 4º Ano


A Árvore

As árvores são importantes porque elas dão-nos muitas coisas, elas dão-nos resina, dão-nos a madeira, sombra, oxigénio, frutos, cortiça …
As árvores enfeitam os jardins, as ruas, os campos, as encostas, as montanhas, os planaltos pelo que tornam a Natureza mais bela.
Existem árvores de folha caduca e árvores de folha persistente.
As árvores de folha caduca perdem todas as suas folhas quando chega o Outono, pelo que passam o Inverno completamente despidas, enquanto que as árvores de folha persistente não perdem todas as suas folhas e não ficam totalmente despidas.
As árvores são muito importantes pelo que devemos respeitá-las e preservá-las.

Joana Cristina – 4º Ano

O Dia Mundial da Árvore e da Floresta

O Dia Mundial da Árvore é festejado no dia 21 de Março um pouco por todo o Mundo.
Na minha escola costumamos fazer muitas actividades relacionadas com a árvore e costumamos plantar árvores, para assinalar este dia.
Este ano, isso não será possível porque o Dia Mundial da Árvore acontece nas Férias da Páscoa, mas a nossa professora disse-nos que iremos ao CICNA – Núcleo dos Dragoeiros, participar numa iniciativa do Parque Natural da Madeira para assinalar este dia.
Todas as turmas da nossa escola estão a preparar trabalhos para levarmos para o CICNA e em troca receberemos alguns prémios.
Esta será uma maneira diferente de assinalarmos este dia.

quarta-feira, 12 de março de 2008

O Meu Pai

O meu pai chama-se Nelson e tem 31 anos. Ele é alto e tem olhos e cabelos castanhos.
O meu pai é Barman.
Aos sábados e domingos ele fica comigo em casa e vamos passear muito.
Ele gosta muito de ajudar-me a fazer os trabalhos de casa.
O meu pai gosta muito do Futebol Clube do Porto por isso a sua cor preferida é o azul.
O Meu pai gosta muito de sair à noite com a minha mãe para descontrair e divertir-se um pouco.
Ele adora ver carros, motos e de ir para a serra ver o Rali Vinho Madeira em Agosto.
O meu pai adora receber presentes.
Eu gosto muito do meu pai.

Jéssica Carina – 4º Ano

O meu Pai

O meu pai chama-se Heliodoro e tem 31 anos. Ele nasceu na Madeira no dia 08/06/1975.
O meu pai é vendedor de painéis solares.
Ele é alto, tem os olhos castanhos e tem o cabelo castanho.
O meu pai é muito carinhoso e simpático.
A sua cor preferida é o vermelho porque ele é do Benfica.
O seu prato preferido carne assada no forno com batatas.
Ele gosta muito de passarinhos, de cães e de gatos.
O meu pai gosta muito de ver televisão, de jogar jogos comigo e com o meu irmão.
Eu gosto muito do meu pai!

Kevin – 4 º Ano


O Meu Pai

O meu pai chama-se Paulo Jorge.
O meu pai nasceu em 1974 ele tem 33 anos.
O meu pai é alto e tem olhos castanhos.
O meu pai é electricista no Aeroporto. Ele trabalha muito e quando chega a casa, depois do trabalho não gosta de estar parado.
Ele gosta muito de passear comigo a pé, de bicicleta e de carro.
Ele também gosta de verificar os meus trabalhos para ver se está tudo bem e ajuda-me quando não sei fazer as coisas.
Eu gosto muito dele e sei que ele gosta muito de mim.
O meu pai gosta muito de ver Rali e leva-me com ele.
O meu pai tem um coração bom, ele gosta de ajudar os outros sem receber nada em troca.
Eu gosto muito de jogar futebol e matraquilhos com ele.
O meu pai gosta muito de ler jornais e de ver os telejornais porque gosta de estar informado sobre tudo o que se passa na região, no país e no Mundo.
Eu gosto muito do meu Pai.

Jorge Miguel – 4º Ano


O Meu Pai

O meu pai chama-se Venâncio.
Ele tem 39 anos e faz anos no dia 29 de Maio.
O meu pai gosta muito de passear pelos campos para ver os animais.
O meu pai gosta muito de futebol e o seu clube preferido é o Benfica.
O meu pai gosta muito de Carne de Vinho e Alhos e os seus frutos preferidos são a maçã e a laranja.
O meu pai gosta muito das tardes de Verão e dos dias em que está sol pois só assim pode sair para o campo.
O meu pai é muito carinhoso e gosta muito de brincar comigo à noite.
Eu gosto muito do meu pai!

Laura Cristina – 4º Ano


O Meu Pai

O Meu Pai chama-se: José Flávio Freitas Pantaleão e tem 31 anos.
O meu pai é muito carinhoso e muito meu amigo.
Ele tem olhos castanhos, cabelo preto, é alto e moreno.
O seu Clube de Futebol preferido é o Futebol Clube do Porto.
O meu pai gosta muito de esparguete à bolonhesa, milho frito e massa.
O que eu mais gosto de fazer com o meu pai é jogar às cartas, dar passeios, jogar computador e ouvir música.
O meu pai tem um Peugeot 206 cinzento, de 5 lugares com leitor de CDs.
O meu trabalha num restaurante em Londres e gosta muito que eu vá passar as férias com ele.
Eu gosto muito do meu pai porque ele dá-me tudo o que preciso.
O meu pai é muito importante para mim!

João Diogo – 4º Ano

O Meu Pai

O Meu Pai chama-se Filipe e tem 41 anos.
Ele é alto, moreno e tem olhos castanhos.
O seu Clube de Futebol preferido é o Benfica.
O meu pai gosta de todo o tipo de comida saudável e também gosta muito de ouvir música.
Ele vai comigo ao Parque Infantil, ao jardim, dar passeios de carro e a pé…
O Meu Pai é divertido, amigo, carinhoso, trabalhador.
O Meu Pai tem um Volkswagem Pólo de sete lugares: dois à frente, três no meio e dois atrás.
O Meu Pai ajuda-me quando tenho dificuldades nos trabalhos de casa e noutras ocasiões.
As vezes o meu pai aborrece-se comigo quando faço asneiras, mas continuo a gostar muito dele porque ele só me quer bem.
Eu adoro o Meu Pai!

Joana Cristina – 4º Ano


O Meu Pai

O meu pai tem 44 anos e chama-se Ernesto Freitas Nunes.
O meu pai tem olhos castanhos, não é muito alto e é magro.
O meu pai trabalha na Empresa de Cervejas da Madeira, há já algum tempo.
O meu pai gosta muito de mim, das minhas irmãs e da minha mãe.
Ele gosta de sair connosco ao fim de semana. Ele adora levar-nos a passear para conhecermos coisas novas.
Ele gosta muito de passear à beira mar e de observar as ondas a ir e voltar.
O meu pai é muito meigo, carinhoso e ajuda-me a fazer os trabalhos de casa e a compreender melhor os conteúdos. Ele adora Matemática por isso ajuda-me muito nesta disciplina.
O meu pai dá-me bons conselhos e gosta que me comporte bem na escola, na catequese e em todos os sítios.
O meu pai gosta muito do Benfica e do Marítimo e adora jogar às cartas.
Eu gosto muito do meu Pai!

Mariana – 4º Ano

O Meu Pai

O Meu Pai tem 48 anos e chama-se Arlindo.
O Meu Pai é alto, magro e tem olhos azuis. Ele é muito carinhoso comigo e gosta de me ajudar quando não sei fazer as coisas.
O Meu Pai gosta muito de comer esparguete com carne moída.
Ele é adepto do Benfica e gosta muito de carros de marca Mercedes.
O Meu Pai é espectacular!

Tiago João – 4º Ano

O Meu Pai

O Meu Pai é o meu melhor amigo. Ele chama-se Eugénio.
O Meu Pai gosta muito de ver futebol. Os seus Clubes de Futebol preferidos são o Benfica e o Marítimo.
Na minha casa quando estes dois clubes de futebol jogam e ganham nós fazemos uma festa para festejarmos a vitória.
O meu pai é professor de Físico-Química e dá aulas no Funchal.
Actualmente ele é o Presidente do Clube Sport Juventude de Gaula.
Foi o meu pai que me ensinou a jogar futebol e a andar de bicicleta. Foi graças a ele que eu pude participar na Taça de Prevenção Rodoviária.
Foi o meu pai que me ofereceu a minha Nitendo DS e foi ele que me ensinou a jogar.
O Meu Pai é o melhor Pai do Mundo!

Pedro Camilo – 4º Ano

A Importância das Árvores

As árvores são seres vivos que habitam no Planeta Terra.
As árvores são muito importantes porque transformam o Dióxido de Carbono em Oxigénio, que todos nós precisamos para viver.
As árvores dão-nos muitas coisas importantes para a nossa vida diária. Elas dão-nos as matérias-primas que são usadas para fabricar muitos dos produtos que usamos.
As árvores são extremamente importantes porque seguram os terrenos das encostas das montanhas, evitando a erosão dos solos, as derrocadas e a modificação das paisagens naturais.
Muitas árvores protegem as culturas agrícolas dos ventos fortes.
As árvores são essenciais à vida no Planeta Terra por isso devem ser respeitadas e tratadas com muito carinho por todos nós.

Texto Colectivo dos Alunos do 4º ano de Escolaridade

A Origem do Dia Mundial da Árvore

Desde muito cedo na história do Homem que a floresta apresenta uma grande ligação com o imaginário humano. Ora conhecida como morada das fadas e dos elfos, de bestas imaginárias e animais selvagens reais, local de armadilhas e pilhagens por parte de ladrões e salteadores, a floresta era então, um local de grande mistério e um local de rara beleza.
Para muitos povos, culturas e religiões, a árvore foi no passado um símbolo místico, que representava a capacidade de renascer.
Provavelmente, as primeiras comemorações que se aproximam do actual Dia mundial da Árvore começaram com os Romanos, uma vez que estes tinham o hábito de enfeitar com fitas de lã e grinaldas de violetas um pinheiro abatido, a fim de celebrar o mito do pastor Átis e da deusa asiática da fertilidade, Cibele.
A comemoração Oficial do Dia da Árvore teve lugar pela primeira vez no estado norte-americano do Nebraska, em 1872. John Stirling Morton conseguiu sensibilizar toda a população a consagrar um dia no ano à plantação ordenada de diversas árvores para resolver o problema da escassez de material lenhoso, matéria-prima importante para a região.
A Festa da Árvore rapidamente se expandiu a quase todos os países do mundo, e em Portugal comemorou-se pela primeira vez a 9 de Março de 1913.
Em 1971 e na sequência de uma proposta da Confederação Europeia de Agricultores, que mereceu o melhor acolhimento da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), foi estabelecido o Dia Florestal Mundial com o objectivo de sensibilizar as populações para a importância da floresta na manutenção da vida na Terra.
No dia 21 de Março de 1972 - início da Primavera no Hemisfério Norte - foi comemorado o primeiro DIA MUNDIAL DA FLORESTA em vários países, entre os quais Portugal.